O Que é SKU (Stock Keeping Unit) e a Importância para seu Estoque

O que é SKU? O SKU (Stock Keeping Unit), é um termo utilizado principalmente na logística do seu negócio. A partir desse código, podemos criar identidades para cada produto, separando assim o que é produto e qual é a quantidade de cada item com suas respectivas características em estoque.

 

O que é SKU?

Um código/número único associado ao produto que possui os atributos e informações do mesmo.

O SKU é uma identificação, geralmente alfanumérica, de um produto em particular que permite o rastreamento para consultas de estoque. Esses códigos ajudam muito no mapeamento e operação do estoque, além do abastecimento de determinado produto de forma precisa.

Através do código de SKU você tem toda a informação do produto sem precisar ler o pacote. O mais legal do número do SKU é que você mesmo pode fazer de forma simples.

 

Um típico número de SKU.

Geralmente, o código de SKU consiste em: fabricante, descrição do produto, material, cor e tamanho.

Vamos utilizar um farol do Jetta da Volkswagen para você entender como um código se parece:

– VW – Volkswagen

– JE – Jetta

– FA – Farol

– 2012 – Ano/modelo para qual o produto serve.

Nesse exemplo acima, teríamos o SKU: VWJEFA12

 

Onde utilizamos os SKU?

No e-commerce, podemos utilizar o SKU nessas formas:

  • Loja Virtual: Cada produto seu terá uma identificação, assim você terá o controle de qual produto está sendo vendido.
  • Marketplace: Seguindo o exemplo da Loja Virtual, dentro dos marketplaces é interessante que você tenha seus SKUs cadastrados.
  • Plataformas e sistemas de e-commerce: Através de sistemas inteligentes, é possível automatizar sua operação, centralizando o SKU de seu produto, integrando de forma inteligente seu estoque aos marketplaces e loja virtual.

 

Por que SKUs são importantes?

Imagine que você tenha trinta produtos diferentes (e não em quantidade) e cada um desses trinta produtos possua sua respectiva quantidade em estoque. Conforme seu volume de pedidos aumentar, você também terá que otimizar sua eficiência logística. Com o código de SKU, você sabe exatamente qual a quantidade disponível de cada item, bem como qual produto enviar em cada pedido.

 

Dicas de como gerar bons números de SKU

Agora vamos aprender a arte de gerar bons códigos, depois de entender o que é SKU. Uma vez que você aprende como fazer, fica muito mais fácil de criar novos.

1-    Crie o seu próprio SKU.

Não altere o código do fabricante ou o código que já está no produto por um prefixo ou sufixo e adotá-lo como SKU. Isso pode criar confusão. Afinal, no futuro, você pode mudar o fornecedor de determinado produto e então o código também mudaria se você estivesse usando o código do fabricante como modelo. Portanto, o ideal é criar o seu próprio código para os produtos.

2-    Mantenha apenas as informações relevantes

Alguns varejistas tentam colocar muito mais informação do que o necessário no código.

A chave para ter um bom código de SKU é apenas preencher as informações que serão úteis no dia a dia.

Informação como “ano de produção” (e não para qual ano o produto serve, por exemplo) não é relevante. O excesso de informação leva a confusão. Você pode adicionar isso na descrição, mas no código não é relevante.

O objetivo do SKU é ganhar o máximo de informação com códigos curtos. Adicionar informações mais do que o necessário, foge da ideia de otimização.

3-    Método “descendo na escada”

Os códigos devem ser criados logicamente para serem decifrados facilmente. Por exemplo:

Vamos criar um código para um item eletrônico. Você pode começar com a letra “E”, que pode ser simples.

Se você está criando para um celular, você pode colocar “C”. Depois algo para a marca, como a primeira letra do nome. “S”, para Samsung, “A” para a Apple, etc. Mais para frente você pode colocar o modelo do smartphone.

Se o código for feito de forma lógica, você poderá facilmente identificá-lo.

4-    Sistema de gestão de estoque

Usar um sistema de controle de estoque informatizado é uma ótima forma de manter a gestão em ordem. Existem sistemas que você pode atualizar a quantidade disponível, dar baixa manual, identificar quantidades, entre outras funcionalidades.

Esses sistemas completamente automatizados mantêm o controle de tudo. Com isso, oferecem relatórios à você, para que seja possível tomar decisões com base em fatos e tudo registrado no sistema.

Um sistema inteligente de controle de estoque previne rupturas, ou seja, você não venderá mais do que a quantidade disponível em estoque. Isso porque existem opções no mercado que pausam automaticamente seus anúncios, seja em Loja Virtual ou Marketplace, quando a quantidade de estoque chegar a zero.

5-    O que considerar e o que não levar em conta no SKU

Considere:

– SKUs são apenas para sua operação interna.

– De forma simples, lógica e de fácil entendimento.

– Curto, mas não ao ponto de causar confusão com quantidade de estoque.

– Comece com letras. É mais fácil diferenciar, classificar em planilhas e diferenciar na hora de receber, separar e entregar.

Não fazer:

– Não use o mesmo SKU em produtos diferentes.

– Não use símbolos especiais como $, #, /, / etc.

– Não use apenas letras ou números, use os dois.

– Não use o serial ou número do fabricante como parte do SKU. Esses números geralmente são muito longos e codificados.

Depois de entender o que é SKU, conclui-se que ele é extremamente importante para o seu estoque. Um bom planejamento e execução impecável na produção dos códigos, além de boa gestão de alimentação dos dados, permitem otimizar a operação logística. Um dos pilares para o crescimento rentável do seu negócio é ter o controle absoluto de seu estoque e o SKU contribui nisso.

Avaliações
Total: 1 Média: 5